quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Meus amores, os cactos

Olá!

Nesse post quero mostrar para todos, de onde vem meu gosto pelos cactos. Desde pequena ficava admirando as plantinhas espinhudas por aí. Na casa da minha avó paterna e na casa das irmãs dela tinham várias, bem saudáveis e eu sempre as namorava. Aos 10 anos comecei a ganhar mudinhas, que pedinchava aqui e ali! Logo meu pai fez prateleiras para que eu pudesse colocá-las. 
Além dos mini cactos que ganhava, também conseguia mudas de cactos de jardim, que estão na minha vida até hoje. Naquela época nem sonhava em comprar, criança e sem grana (risos). Mesmo assim, multiplicava meus cactos e fazia muitas experiências com eles. 
Na adolescência abri mão dos minis, pois toda vez que ia mexer, algum sapo ali camuflado pulava, e eu morria de medo! Adulta, tudo voltou às boas.

 

Na casa dos meus pais, com uniforme da escola, super feliz com a flor!

 

Na minha primeira comunhão (10 anos de idade), entre os presentes, dois cactos! Pensa o tanto que a criança gostava!


No jardim da casa dos meus pais! Na foto aparece o meu Cereus recém plantado. Nossa finada gatinha Leo e um outro cacto florido. Abaixo este mesmo Cereus, em 2014! 17 anos depois, lindo!